Destaques

18/05/2017 17:30 RDNews

Há quase 100 dias da morte de Lilian, família divulga vídeo que pode desmentir versão de delegado

Após 99 dias da morte de Lilian Martins da Silva, de 27 anos, atingida por um tiro de arma de fogo, em São José do Rio Claro (a 299 Km de Cuiabá), a família divulga vídeo onde mostra o momento exato em que a moça foi vitimada. O disparo partiu da pistola do delegado da cidade, Nilson André Farias de Oliveira, após confusão envolvendo a ex-mulher do namorado da vítima, Lucélia Barbosa dos Santos.

Em posse das imagens, a família da vítima contesta a versão de que a Lilian tenha tentado desarmar o policial. O vídeo detalha como a ação ocorreu. Em 6 de fevereiro deste ano, a jovem vinha sendo perseguida pela rua Santa Catarina, e acabou fechada pelo carro da marca C3 da Citroen. Neste momento ela para a motocicleta Bis, quando duas mulheres descem do veículo e uma parte para cima dela.

As duas começam a brigar na calçada do comércio Sthil Caça e Pesca, quando uma terceira mulher que seria a irmã da Lucélia, Valéria Fernandes Barbosa, também começa a desferir tapas contra a vítima. No calor da confusão é possível ver que o delegado Nilson para o carro com a arma em punho, a terceira mulher se afasta da briga, enquanto Lucélia continua em cima da Lilian, ambas se agredindo.

O delegado puxa a vítima que continua no chão. Conforme a imagem, em nenhum momento é possível ver Lilian tentando tirar a arma da mão do delegado. A Lucélia somente sai de cima de Lilian quando ouve o disparo. A vítima somente estica a perna e fica imóvel. É possível notar o desespero do delegado diante da situação.

Logo depois que Nilson leva a vítima para o hospital, uma das irmãs segue para o comércio ao lado e a outra pega carona com um motociclista que aparece no local. Misteriosamente o carro em que as duas chegaram desaparece da rua.

O pai de Lilian, Osmar Juvenal da Silva, de 48 anos, cobra por justiça e destaca que a filha em momento algum tentou retirar a arma da mão do delegado. “As imagens mostram por si. Somente queremos que os fatos sejam esclarecidos. Agora todo mundo vai poder ver que quem partiu para agressão não foi minha filha. Atualmente quem causou isso, nem mora mais na cidade, e o inquérito nem foi concluído”, afirma.

Outro lado

A Polícia Civil, por meio da assessoria de imprensa, informa que todas as testemunhas já foram ouvidas na investigação e agora aguarda laudos periciais das imagens das câmeras de segurança e de balística da arma do delegado, para finalizar o inquérito policial, que está sob os cuidados da delegada Alessandrah Marquez Alecrim, da Regional de Nova Mutum.

Na época, a PJC ressaltou que Lilian respondia a inquéritos policiais por ameaça e tentativa de homicídio, todos envolvendo relacionamentos amorosos. A vítima da ameaça de morte, inclusive, é Lucelia, conforme narrado em boletim de ocorrência registrado em janeiro de 2017.


versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo